A Didi Chuxing (“DiDi”), maior plataforma de transporte no mundo, , passou a ser conhecida pelos brasileiros em janeiro deste ano, quando anunciou a compra da startup brasileira 99.

Com uma política que busca combinar a força da tecnologia global com conhecimento e experiência do usuário local, a empresa acaba de desembarcar no Japão, 20 dias depois de lançar na Austrália, e meses depois do México. Além disso já está no Brasil, China, Hong Kong e Taiwan. Assim, o aplicativo já ofereceu cerca de 30 milhões de viagens diárias para mais de 550 milhões de passageiros e gerar oportunidades flexíveis de renda para mais de 30 milhões de motoristas no mundo.

O lançamento no Japão, dia 19 de julho, foi uma joint-venture com o SoftBank, para oferecer serviços de atendimento de táxi online e soluções inteligentes de transporte para cidadãos e turistas na terceira maior economia do mundo.

Como terceiro maior mercado de táxis do mundo, o Japão ocupa posição estratégica, com infraestrutura avançada de internet móvel e uma reputação global de serviço de táxi de alta qualidade. Stephen Zhu, vice-presidente da Didi Chuxing e CEO da DiDi Japan, diz que a nova plataforma pretende ajudar as empresas de táxi a melhorar sua eficiência e utilização, aumentar a satisfação do usuário e construir uma demanda mais ampla para serviços de táxi.

De acordo com a Organização Nacional de Turismo do Japão, os viajantes estrangeiros cresceram 28% ao ano e o número de visitantes da China em 34% ao ano entre 2012 e 2017. A DiDi Japão tem como objetivo apoiar a indústria de táxi japonesa para capturar essas novas oportunidades, antecipando ainda a demanda esperada para os Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020.

O DiDi pretende lançar seu aplicativo em Osaka, Kyoto, Fukuoka, Tóquio e outras grandes cidades, a partir do outono deste ano (setembro a novembro). Ao mesmo tempo, novos recursos personalizados de roaming serão adicionados ao aplicativo da DiDi, incluindo tradução de mensagens instantâneas de chinês-japonês em tempo real no aplicativo e suporte ao cliente local em chinês.

Já na Austrália, a operação se iniciou em Melbourne, segunda maior cidade local, depois de um projeto piloto em Geelong. O país foi escolhido pelas necessidades de mobilidade diversificadas, um ambiente favorável aos negócios e uma cultura inclusiva.

A DiDi irá operar localmente através de sua subsidiária na Austrália. As ofertas de produtos e experiência para o usuário na Austrália serão customizadas com base no feedback de motoristas e passageiros em Melbourne e Geelong.

Antes disso, em 23 de abril, a empresa já havia iniciado a operação no México, na cidade de Toluca, a capital do Estado do México e um centro cultural e empresarial a aproximadamente 60 quilômetros a oeste da Cidade do México. Para o início das operações a empresa fez extensa pesquisa de mercado, com a colaboração entre a DiDi México e as equipes de pesquisa na Califórnia e Pequim. O resultado foi a criação de modelos de algoritmo e tecnologias de segurança desenvolvidos na China especialmente para o mercado mexicano. A meta é expandir o serviço para outras cidades mexicanas ainda este ano.

A globalização é uma das principais orientações estratégicas do DiDi. Em 2018, a empresa continuará cultivando mercados na América Latina, Austrália e Japão. Para o crescimento a aposta é na combinação do uso da Inteligência Artificial aplicada ao transporte e na profunda especialização local para oferecer uma experiência melhor para os mercados internacionais. A DiDi também espera construir parcerias público-privadas em soluções inteligentes de transporte para atingir metas de sustentabilidade para cidades do mundo todo.

Além das operações da própria DiDi a empresa tem parceria com outros sete grandes players internacionais, incluindo Grab, Lyft, Ola, Uber, Careem eTaxify. Em conjunto, atendem a mais de 1.000 cidades e atingem 80% da população mundial.

Tags : 99didi
X